Síndrome de Guillain-Barré o que é e como tratar?

A síndrome de Guillain-Barré tem sido muito comentada em época de epidemia de zika vírus, transmitido por meio da picada do mosquito Aedes aegypti, que se prolifera nos locais onde se acumula água. Ela é uma doença grave, neurológica, causada por uma inflamação dos nervos e dano muscular, algumas vezes causando até a morte do paciente. Algumas pessoas são diagnosticadas algum tempo depois de adquirirem o zika vírus, pois o sistema imunológico fica fraco e acaba afetado pela síndrome.

Causas

Na síndrome de Guillain-Barré o organismo ataca os anticorpos, como um erro do sistema nervoso. Ele destrói a bainha mielina que cobre os nervos e geram os sintomas da doença. A bainha de mielina acaba inflamada e impede os sinais enviados aos músculos, trazendo assim as fraquezas e falta do retorno muscular. Alguns fatores que podem acarretar a síndrome são: vacinas recém aplicadas, zika vírus e infecções virais.

Sintomas

Dentre os sintomas mais comuns estão: a fraqueza muscular nos membros (braços e pernas), paralização dos músculos da face, formigamento, dores nas costas e quadril, dificuldade para respirar e engolir, mudança na pressão arterial, desmaio, fraqueza, tontura, medo e dor no peito.

Tratamento

O paciente diagnosticado com Guillain-Barré, normalmente permanece internado em observação mesmo no nível mais leve na doença. Existem duas formas de tratamento a plasmaférese e a imunoglobulinas. Ambos tratamentos podem ser aplicados durante as primeiras quatro semanas para obter resultado e evitar as sequelas da doença.

A plasmaférese é um tratamento que funciona como uma hemodiálise filtrando os auto-anticopos. A Imunoglobulinas é uma injeção de anticorpos contra os auto-anticorpos.

A síndrome pode deixar a pessoa paralisada por até três anos, por conta disso é importante também o tratamento com fisioterapia para o retorno dos movimentos e as vezes até das funções respiratórias.

Uma vez que a pessoa adquiriu a síndrome de Guillain-Barré, ela tem 5% de chance de contrair novamente.

Escreva seu Comentário